Big Fish

Como você poderia traduzir ou exemplificar o significado da palavra FAMÍLIA? Um pai, uma mãe e um filho? Duas mães e um filho? Dois pais e duas filhas? Um pai, um cachorro, um gato e um papagaio? O amor me mostrou que as possibilidades são infinitas, lindas e em constante construção. Eis a minha definição: uma mãe, uma avó e uma filha. Essa foi a base que construiu a maior parte de quem a Bia é hoje. Duas mulheres tão doces quanto fortes, que vivem dentro de tudo aquilo que ouso criar. Em 2017, minha mãezinha passou a viver ainda mais intensamente em mim. A perdi em um plano físico e a ganhei em planos que até hoje sigo buscando descobrir. No mesmo ano, também ganhei o André. Esse serzinho movido a café, um jovem de 20 e poucos anos com sede de se reinventar diariamente, diretor de olhos verdes atentos e sonhador que, além de me devolver meus sonhos mais bonitos, me mostrou novos significados para a palavrinha que tanto falo nesse texto.

A The Biz se tornou uma segunda família, um lugar para amar “por causa de” e “apesar de”, como o próprio André tanto fala. Em 2018, chegou o Peixe Grande, nossa primeira montagem acadêmica unindo todas as turmas da escola, que eu defino como um processo que vai muito além do espetáculo cheio de vida que vocês irão assistir. Essa montagem conseguiu reverberar, em alunos e professores, valores que por vezes são esquecidos, sobretudo na arte, que, infelizmente, é lugar de muita vaidade e competição. Primeiro, os papeis foram partilhados com diferentes artistas, com o objetivo de utilizar os personagens como uma ferramenta pedagógica, utilizando o que cada um tem de melhor, dando oportunidades para todos e desenvolvendo o aluno em diversas vertentes do teatro musical. Aprendemos a dividir. Como atriz, pude reinventar meu processo de aprendizado ao poder contar com a amizade e a parceria de duas mulheres com quem divido a Sandra. Vi o quão além podemos ir se lembrarmos de ouvir e olhar com muito mais sede do que falamos. Como professora da escola, vi crianças entrarem em uma atmosfera de partilha, amor e cuidado com os sentimentos e corpos uns dos outros. Um movimento lindo, que vou levar como referência em tudo aquilo que ensinar, criar e aprender. Além disso, poder ver mães, filhos, irmãos e primos juntos em cena é outro presente que, desde os ensaios, já aumenta significativamente a quantidade de amor por metro quadrado. E com essa mistura intensa de vivências e aprendizados, hoje subimos no palco do Theatro José de Alencar para contar para vocês uma história sobre... Adivinha? Família. Não poderia haver momento, espetáculo e mensagem mais urgente do que essa. Falar de base, saudade, trajetória, amor, aceitação. Depois das cortinas fecharem, esperamos que vocês possam se perguntar: hoje eu já amei alguém como família? Eu já amei “por causa de” e “apesar de”? A todos, um intenso e doce espetáculo.

Texto: Beatriz Duboc - Aluna da The Biz - Escola de Artes

Galeria